Anotações & Informações | Fim pág | Voltar |

Eletrônica Digital XXIV

| Índice do grupo | Página anterior | Próxima página |

Tópicos: Demultiplexador - Conceitos Básicos | Demultiplexador de 4 Canais | Demultiplexador de N Canais |

1) Demultiplexador - Conceitos Básicos

(Topo | Fim pág)

O bloco demultiplexador opera de modo inverso do multiplexador (ver página Eletrônica digital XXII). Portanto, conceitos e circuitos básicos são reciprocamente semelhantes. A forma genérica do bloco é dada na Figura 1-I (a): uma entrada E (que supostamente recebe dados em sequência), N saídas S0, S1, ... SN-1 e K entradas de seleção A0, A1, ..., AK-1.


Fig 1-I

Cada combinação de entradas de seleção liga a entrada E a uma das saídas S. Assim, de forma análoga ao multiplex, tem-se a relação entre o número de saídas N e o número de entradas de seleção K:

N = 2K

Essa igualdade indica, na realidade, o número máximo de saídas que pode existir. Um circuito pode ser construído com menor número, desde que se evite, de alguma forma, ação de combinações não usadas das variáveis de entrada. Portanto, rigorosamente deve-se ter N ≤ 2K. Tais considerações também valem para o multiplexador.

Uma analogia eletromecânica é dada em (b) da mesma figura: um dispositivo acionador, comandado pelas entradas de seleção, posiciona a chave seletora de forma a ligar a entrada E a uma das saídas.

De modo similar ao multiplexador, as saídas também são denominadas canais. E o demultiplexador da figura tem N canais e log2 N (= K) entradas de seleção.

O circuito demultiplexador é ainda mais simples que o multiplexador. Se a entrada de seleção A é zero, a porta E da saída S0 é "habilitada" e a da saída S1 é "bloqueada". Nessa condição, a saída S0 tem o mesmo valor da entrada E e a saída S1 tem valor zero.


Fig 1-II

Processo inverso ocorre se a entrada A é um, formando a tabela de operação dada na parte direita da Figura 1-II. O circuito da entrada de seleção A (cor diferenciada) é um gerador de produtos canônicos para uma variável, de forma idêntica ao do multiplexador simples da referida página.


2) Demultiplexador de 4 Canais

(Topo | Fim pág)

O circuito do tópico anterior pode ser expandido para quatro canais conforme esquema da Figura 2-I a seguir.


Fig 2-I

O formato é o mesmo, com o acréscimo de portas E e de um gerador de produtos canônicos para duas variáveis de seleção.

Tab 2-I
ABS0S1S2S3
00E000
010E00
1000E0
11000E

Para cada combinação de variáveis de seleção, tem-se apenas uma saída do gerador em nível um, o que habilita a porta E respectiva, fazendo a saída correspondente igual à entrada E e as demais iguais a zero. A tabela de operação é dada ao acima.


3) Demultiplexador de N Canais

(Topo | Fim pág)

O circuito do tópico anterior pode ser generalizado para um número N de canais de saída. A Figura 3-I dá o esquema básico.


Fig 3-I

A relação entre o número N de canais de saída e o número K de entradas de seleção é conforme tópico inicial desta página: N = 2K. Este circuito e os anteriores desta página mostram a similaridade recíproca com os circuitos multiplexadores, conforme já mencionado.
Referências
Brophy, James J. Basic Electronics for Scientists. USA: McGraw-Hill, 1977.
U. S. Navy. Basic Electronics. Hemus, 1976.

Topo | Rev: Dez/2007