Anotações & Informações | Fim pág | Voltar |

Eletrônica Digital XVI

| Índice do grupo | Página anterior | Próxima página |

Tópicos: Contador Assíncrono Básico | Contador Assíncrono de Década | Contador Assíncrono Decrescente | Exemplo de Circuito Integrado |

1) Contador Assíncrono Básico

(Topo | Fim pág)

Contadores assíncronos são assim denominados porque as entradas de controle (clock) dos diversos flip-flops que os compõem não trabalham na mesma frequência. A Figura 1-I dá um exemplo: são usados 4 flip-flops tipo mestre-escravo ligados em cascata, com a saída Q de cada ligada à entrada de clock do seguinte. As entradas J e K de cada flip-flop são mantidas no nível 1.


Fig 1-I

Supondo que inicialmente todos os flip-flops estão no nível 0, o comportamento pode ser visto pelos gráficos da Figura 1-II. Também é suposto que, a partir de determinado instante, uma sequência de pulsos retangulares é aplicada na entrada de clock E do flip-flop número 0, conforme gráfico superior da figura mencionada.


Fig 1-II

Em página anterior foi visto que flip-flops tipo mestre-escravo só mudam de estado na descida (transição de 1 para 0) dos pulsos de clock. Assim, a saída do flip-flop 0 não acompanha exatamente a entrada de clock e o resultado é uma sequência de pulsos com o dobro da largura. E de forma análoga para os demais. Desde que os flip-flops estão ligados em cascata, as larguras de pulso dobram em cada etapa, o que é claramente visto no gráfico.

ES3S2S1S0
nada0000
10001
20010
30011
40100
50101
60110
70111
81000
91001
101010
111011
121100
131101
141110
151111
160000

Na tabela acima os valores da coluna E são apenas números sequenciais dos pulsos de entrada e as demais colunas contêm os níveis lógicos das saídas de acordo com os gráficos anteriores, considerando S3 o dígito mais significativo. Pode-se notar que os valores das saídas correspondem às contagens em números binários dos pulsos de entrada. E o processo é reiniciado após o décimo sexto pulso.

Voltando aos gráficos da Figura 1-II, pode-se verificar que o circuito opera também como um divisor de frequência. Se as larguras dos pulsos, isto é, os períodos são dobrados, as frequências são reduzidas pela metade porque frequência é o inverso do período. S0 tem frequência igual à metade da de entrada, S1 a metade da de S0 e assim sucessivamente, ou seja, cada flip-flop divide a frequência por 2.


2) Contador Assíncrono de Década

(Topo | Fim pág)

O circuito do tópico anterior conta sequências de 16 pulsos, que é o resultado de 2n, onde n é o número de flip-flops (4 no caso). Entretanto, em muitos casos, é necessário que a contagem seja feita em sequências de 10 pulsos (ou décadas), a base usual de numeração.

Desde que 10 não é potência inteira de 2, pode ser usado o artifício indicado na Figura 2-I: uma porta NAND com a saída conectada nas entradas CLEAR dos flip-flops.


Fig 2-I

As entradas da porta recebem os valores S3, S2 (equivalente a Q do flip-flop 2), S1 e S0 (equivalente a Q do flip-flop 0). Assim, quando o valor nessas entradas for igual a 1010 (10 em binário), as entradas CLEAR serão nulas, zerando os flip-flops e reiniciando a contagem. O método pode ser ajustado para qualquer tamanho da sequência, desde que menor que 2n, onde n é o número de flip-flops.


3) Contador Assíncrono Decrescente

(Topo | Fim pág)

Os circuitos vistos até aqui contam de modo crescente. Algumas aplicações exigem forma contrária, isto é, decrescente. Na contagem decrescente, as saídas são complementos dos valores da tabela do tópico Contador assíncrono básico, ou seja, 1111, 1110, etc. Assim, um meio de se obter contagem decrescente é simplesmente considerar, no circuito da Figura 1-I, as saídas S0 a S3 como as saídas Q dos respectivos flip-flops, conservando as ligações entre Q e CK dos flip-flops adjacentes.


Fig 3-I

Outra forma é modificar o circuito para o da Figura 3-I: as entradas de clock recebem as saídas Q e não Q, permanecendo estas últimas como saídas. A análise gráfica pode ser feita de forma similar ao primeiro tópico e, por isso, não é comentada. Havendo necessidade de contagem crescente ou decrescente, pode ser usado um arranjo conforme circuito da Figura 3-II.


Fig 3-II

Os três blocos B atuam como chaves lógicas e o circuito se comporta como o da Figura 1-I (primeiro tópico) ou como o circuito da Figura 3-I (decrescente), dependendo do nível lógico da entrada de controle C.


4) Exemplo de Circuito Integrado

(Topo | Fim pág)

A Figura 4-I dá o diagrama lógico do CI 74HC/HCT93 da Philips. É um integrado de 14 pinos numerados conforme figura (os pinos não indicados não são usados).


Fig 4-I

Opera de forma similar ao circuito da Figura 1-I (primeiro tópico), isto é, um contador de 4 flip-flops (ou 4 bits), mas o flip-flop 0 (entrada CP0) é separado dos demais (entrada CP1). Para funcionar como contador de 4 bits, deve ser usada a entrada CP0 e CP1 dever ser ligada externamente com a saída Q0. Se usada a entrada CP1, o circuito funciona como um contador de 3 bits, com saídas Q1, Q2 e Q3. As entradas de controle dos pinos 2 e 3 (MR, "master reset") zeram a contagem se ambas forem levadas ao nível 1.
Referências
Brophy, James J. Basic Electronics for Scientists. USA: McGraw-Hill, 1977.
U. S. Navy. Basic Electronics. Hemus, 1976.

Topo | Rev: Dez/2007