Anotações & Informações | Fim pág | Voltar |

Válvulas Termiônicas V

| Índice do grupo | Página anterior | Próxima página |

Tópicos: Amplificador Simples para Áudio | Fonte Improvisada para Válvulas | Receptor Regenerativo de uma Válvula |

1) Amplificador Simples para Áudio

(Topo | Fim pág)

O circuito abaixo é exemplo de um amplificador experimental simples de áudio, que usa um duplo triodo 12AX7 na função de pré-amplificador e um pentodo 6V6 como amplificador de potência.

Amplificador com válvulas
Fig 1-I

Há um transformador de saída TS entre o alto-falante e o circuito. Ele é necessário para o acoplamento de impedâncias. Uma derivação no secundário é usada para realimentação negativa (recurso para reduzir distorção e ruído). Onde não indicado, resistores de 1/2 W e capacitores de 400 V ou superior.


2) Fonte Improvisada para Válvulas

(Topo | Fim pág)

A maioria dos circuitos com válvulas exige no mínimo duas tensões de fonte: uma tensão baixa (que em geral não precisa ser retificada) para os filamentos e uma tensão contínua alta (120 V ou mais) para a operação do circuito. Nos tempos atuais, transformadores apropriados possivelmente não são fabricados.

O circuito da Figura 2-I é uma improvisação que usa dois transformadores simples. Se, por exemplo, a tensão de rede é 110 volts, T1 e T2 podem ser transformadores 110 V / 6 V + 6 V. Desejando dobrar a tensão de saída, T2 deve ser 220 V / 6 V + 6 V. As potências dos transformadores devem ser dimensionadas de acordo com o circuito a alimentar.

Fonte simples para válvulas
Fig 2-I

Os diodos D1 a D4 dependem também dos parâmetros do circuito. Para correntes menores que 1 A, podem ser usados diodos da série 1N4... (1N4004 se T2 for 110 V e 1N4007 se for 220 V) ou similares. Pode ser também difícil encontrar o indutor de filtro (choke) L1. Se não há muita exigência de filtragem, pode ser substituído por um resistor. Na maioria dos casos, para circuitos pequenos, um valor de indutância de 5 H é suficiente (pode-se tentar usar o primário de um pequeno transformador de 110 V. A resistência deve estar na faixa 80 a 150 Ω). Os capacitores C1 e C2 podem ser, por exemplo, 47 e 100 µF, 250 ou 350 V, dependendo da tensão de T2.


3) Receptor Regenerativo de uma Válvula

(Topo | Fim pág)

O circuito a seguir é um receptor regenerativo entre os muitos publicados nos tempos em que as válvulas dominavam a tecnologia eletrônica. Alguns aficionados das válvulas dizem que é mais sensível e mais fácil de sintonizar do que os equivalentes transistorizados. Ele usa um triodo duplo 12AT7, do qual uma unidade faz a função de detecção e a outra (à direita no diagrama) é amplificadora do sinal de áudio.

Quem deseja montar montar provavelmente terá dificuldade de encontrar a própria válvula (e soquete) e componentes como o capacitor variável de sintonia C2. Talvez possam ser encontrados como partes de aparelhos antigos.

Receptor regenerativo de uma válvula
Fig 3-I

O indutor L1 deve ser confeccionado com fio esmaltado 28 AWG enrolado, sem espaços entre espiras, em tubo de material isolante de diâmetro 38 mm. O capacitor C1 deve ser conectado bem próximo, formando um conjunto que, se desejado, pode ser montado em um soquete. Assim, podem ser confeccionados vários indutores para sintonizar diferentes faixas. A tabela a seguir dá o total de espiras e as espiras para derivação da ligação ao catodo.

MHz Espiras Derivação C1 pF
5,5 - 1,5 80 20 direto
1,65 - 2 75 20 47
3,5 - 4,2 29 8 47
6,5 - 8,5 13 3 47
9,5 - 9,7 12 3 27
14 - 14,5 8 4 10
21 - 22 5 2 20

Resistores de 1/2 W 10% se não indicado. Capacitores de 1000 V se não indicado. O potenciômetro de 50 K do ajuste de regeneração deve ser do tipo linear. Um tipo não linear usado em áudio pode tornar difícil o ajuste, que em geral é bastante crítico. Outras alternativas pode ser adotadas, como outro potenciômetro de menor valor em série para um ajuste fino.

Nota-se a indicação de cabo blindado entre o potenciômetro de volume (1 M) e a grade da válvula. Isso serve para evitar interferências devido à alta impedância de entrada das válvulas.

O diodo da fonte está especificado, mas pode ser em princípio qualquer diodo retificador comum de 1 A e tensão inversa cerca de 300 V. O transformador da fonte T1 pode ter também alternativas, como o uso de dois se não for possível encontrar um com dois secundários (ver tópico anterior). Outra dificuldade pode ser a falta de caixa e chassis com furo para o soquete da válvula. Mas não é difícil improvisar com alguns materiais e ferramentas manuais.
Referências
BROPHY, James J. Basic Electronics for Scientists. USA: McGraw-Hill, 1977.
U. S. NAVY. Basic Electronics. Hemus, 1976.
Pesquisa na Internet em 04/2008. Fontes não anotadas.

Topo | Rev: Mar/2018