Anotações & Informações | Índice | Fim pág | Voltar |


Sem Deuses I

(algumas considerações e razões sobre o modo ateísta de ser) | Índice do grupo | Página anterior | Próxima página |

Ateísmo é Religião? | Ateus Querem o Fim das Religiões? | Ateus São Desprovidos de Emoções? | Ateus São Pessoas Ruins? |
Conversões Podem Ocorrer? | Criacionismo I | Criacionismo II |
Diferença com Agnósticos | Entre Gerações | Esquerda × Direita | Extremismos & Radicalismos |
Futuro Presumível | Interrupção da Gravidez - Brasil na Idade Média | Lógica Divina |
Migração Radical | Mulher no Clube do Bolinha |
Onipresentes São as Igrejas | Pode Ter um Fim? |
Provas Abundantes? | Rejeição a Ateus - Brasil na Idade Média |
Sobre Bíblia | Sobre Milagres | Sobrevivendo no Mar da Imposição |
Valores Morais Precisam de Religiões? | Vida Extraterrestre? |


Ateísmo é Religião?

(Topo | Fim pág)

Não pode ser considerado. O sufixo ismo é geralmente associado a posições ideológicas como capitalismo, socialismo, cristianismo, etc. Mas o ateísmo não é similar. É a aceitação da realidade do Universo, do método científico para conhecer as coisas. Uma teoria é válida enquanto explicar tudo que lhe é relacionado. Se contradições forem observadas, ela é considerada parcialmente válida, reformulada ou trocada por outra. Não há dogmas ou posições petrificadas.


Ateus Querem o Fim das Religiões?

(Topo | Fim pág)

• Em geral não. Desejam, sim, a laicidade, isto é, a neutralidade do Estado nesse âmbito, com garantia do respeito mútuo.

• Segundo a Constituição de 1988, o Brasil é um estado laico. Mas ficou só na lei.


• A coisa não se limita aos aspectos da imagem acima, é muito mais. Na prática, o Brasil é um estado cristão, quase fundamentalista.


Ateus São Desprovidos de Emoções?

(Topo | Fim pág)

Em hipótese alguma. Têm os sentimentos comuns a todos os seres humanos. Mas não se deixam levar pela exploração emocional para aceitar ideias (deixadas por civilizações passadas ou não) que não se confirmam pelo raciocínio lógico nem pelo método científico. Citações de fatos que não podem ser reproduzidos não são consideradas verdadeiras.


Ateus São Pessoas Ruins?

(Topo | Fim pág)

A falsa associação de ateísmo com mau-caráter foi, ao longo da História, cultivada pelas religiões pelo temor do questionamento. Parece não haver uma pesquisa global sobre o tema, mas estudos isolados, como o do link da imagem, podem ser encontrados.


Como o próprio texto do artigo menciona, ateus seguem em geral um comportamento fundamentado na lógica da reciprocidade, ou seja, tratar outros como gostariam de ser tratados. O link da próxima imagem é mais um exemplo.


Aspecto relacionado pode ser visto em estatísticas globais de dados sócio-econômicos: em geral, países com mais religiosidade têm índices de criminalidade maiores se comparados com outros de menos religião.


Conversões Podem Ocorrer?

(Topo | Fim pág)

Sem dúvida. E a coisa é bastante explorada por religiões quando acontece com pessoas conhecidas. Entretanto, diante dos números positivos de crescimento do ateísmo, pode-se supor que há mais religiosos que se tornam ateus do que o contrário.


Criacionismo I

(Topo | Fim pág)

Essa pseudociência tenta usar dados científicos para justificar um criador ou designer inteligente para o Universo. Contestações são fáceis e podem ser encontradas em vários locais. Mas a figura abaixo mostra um aspecto importante que é pouco comentado.


Ou seja, a hipótese do supremo projetista é completamente inútil. Não agrega conhecimento e em nada ajuda a evolução humana.


Criacionismo II

(Topo | Fim pág)

Outro belo exemplo. A primeira parte já foi usada como prova definitiva.


• Os arautos do superinteligente em geral não mencionam as coisas ruins que ele também deve ter criado.

• Finalizando: se coisas complexas exigem um criador, esse deve ser presumivelmente mais complexo. Então ele também exige seu criador. Sem deuses, por favor.


Diferença com Agnósticos

(Topo | Fim pág)

• Ateus não supõem a existência de divindades.

• Agnósticos dizem que não é possível afirmar nem negar a existência.

• Em geral, a proporção de agnósticos nas populações é menor que a de ateus.


Entre Gerações

(Topo | Fim pág)

Apesar a tendência global de crescimento em função da taxa de fertilidade dos mais pobres, religiões estão em claro declínio no mundo desenvolvido. O gráfico a seguir contém dados extraídos deste site.


É interessante notar a aceleração do crescimento da não religião a partir da década de 1980, coerente com o início da era digital, que permitiu a ampla disseminação do conhecimento, sem possíveis restrições impostas por crenças.

No Brasil, parece não haver uma pesquisa desse tipo. Entretanto, é possível estimar uma tendência similar, embora com números mais modestos em razão da menor escolaridade da população.


Esquerda × Direita

(Topo | Fim pág)

No espectro político-econômico, ateus tendem a se identificar com a esquerda. Possível razão é a história dos movimentos socialistas e comunistas contra classes de renda mais elevada, quase sempre religiosas. Mas não se pode generalizar. Há ateus completamente favoráveis à economia de mercado.


Extremismos & Radicalismos

(Topo | Fim pág)

Há ateus extremistas, mas nada que se compare ao radicalismo das crenças. As religiões não conseguem demonstrar as coisas em que acreditam, o que leva alguns dos seus seguidores ao inconformismo diante de questionamentos.


Futuro Presumível

(Topo | Fim pág)

Os gráficos simplificados a seguir contêm as parcelas mais significativas das previsões publicadas neste local. Comparando as variações absolutas e relativas, nota-se que o cristianismo tende a acompanhar o crescimento populacional e a participação presumida é estável. O islamismo cresce acima e aumenta significativamente a parcela. Hindus e sem religião crescem de forma mais modesta e, assim, suas participações são respetivamente estável e decrescente.


O poder das religiões está no domínio das populações mais pobres e menos escolarizadas, que se reproduzem quase sem controle. Nas sociedades de maior nível educacional, a tendência é outra. Nos Estados Unidos por exemplo, a variação prevista para os sem religião é de 16 para 25% no período do gráfico.


Interrupção da Gravidez - Brasil na Idade Média

(Topo | Fim pág)

• Na evidência científica, não há ser humano até a 12ª semana por ausência de estrutura neuronial. Mas religiões negam e tentam impor suas vontades com punições legais (em vez de pedir que a divindade as aplique). A aceitação depende de cada país e o resultado varia desde a proibição total até a pequena ou nenhuma restrição.

• Em alguns (poucos) países, até casos espontâneos são punidos com prisão, coisa difícil de imaginar nos tempos atuais.

• Assim, as restrições legais ao aborto são um dos melhores indicadores da submissão religiosa de um país. O mapa a seguir é explicado com detalhes no site de origem.


• No mapa, azul significa pouca ou nenhuma proibição e, quanto mais vermelho, maiores as restrições.

• Como esperado, a coisa deixou de ser tabu em todo o mundo desenvolvido e em vários outros países de boa escolaridade. Proibições se concentram nos menos evoluídos da África e da América Latina.

• O Brasil está apenas a um passo da restrição máxima, significando uma sociedade doentiamente dominada por crenças. Exemplo chocante foi um conhecido caso no ano de 2020, quando religiões responsabilizaram a vítima, uma menina de 10 anos que sofreu violência sexual.


Lógica Divina

(Topo | Fim pág)

Crenças dispensam a lógica e, por isso, os que se fundamentam nesta última em geral dispensam as primeiras.


No exemplo da figura, se A é verdadeiro, B não pode ser e vice-versa.


Migração Radical

(Topo | Fim pág)

• Há vários exemplos de empresas que, confiantes apenas nas suas tradições, foram superadas por concorrentes mais ágeis ou mesmo deixaram de existir. E o mercado da fé não é exceção.

• No Brasil, a megaestrutura do catolicismo é desafiada por sua dissidência com um esquema simples e pulverizado: um galpão velho, cadeiras de plástico, equipamento de som, uma bíblia e um ilusionista.

• Atuando na parte inferior da pirâmide educacional, esse método (basicamente no grito) consegue uma doutrinação efetiva e o resultado pode ser visto no gráfico a seguir, conforme dados deste site.


• Mas essa migração interna da crença não é inofensiva: a dissidência do catolicismo não é centralizada, as igrejas competem entre si por faturamento. Assim, a doutrinação cada vez mais radical é uma forma de fidelizar o cliente.

• Nas últimas décadas, o movimento pode ser claramente observado na política: o contínuo crescimento de governantes e parlamentares comprometidos com a imposição religiosa.

• Dado interessante pode ser observado no gráfico: a inclinação do crescimento dos evangélicos aumentou após o fim da ditadura militar, que era basicamente católica (embora com uma parte da igreja na oposição). Parece que isso era um fator de inibição que deixou de existir.

• Onde há mais educação e conhecimento, esse fenômeno não é significativo. Conforme site citado, nos Estados Unidos, o crescimento maior é do grupo sem religião.


Mulher no Clube do Bolinha

(Topo | Fim pág)

Discriminação, submissão e violência contra o sexo feminino. O desequilíbrio entre os gêneros é claro e explícito na maioria das crenças: protagonismo de homens e funções secundárias para mulheres.


Bíblia foi uma criação de seres humanos do sexo masculino durante a idade do bronze. Um estudo interessante pode ser visto neste site (em inglês).


Onipresentes São as Igrejas

(Topo | Fim pág)

Um morador de uma região metropolitana teve a curiosidade de marcar num mapa as igrejas com as quais ele tem contato visual no curto trajeto (< 400 m) que ele diariamente faz até o ponto de ônibus.


Entre 2010 e 2016, em média uma nova entidade religiosa foi registrada por hora no Brasil.


Pode Ter um Fim?

(Topo | Fim pág)

Sem dúvida. O ateísmo adota o método científico e, assim, uma reformulação será inevitável se uma evidência conclusiva for apresentada.


A figura acima ilustra um exemplo do que poderia acontecer.


Provas Abundantes?

(Topo | Fim pág)

O criacionismo é um dos meios mais comuns para ajudar. Mas existem outros.


• Na lógica simples, (a) não implica necessariamente (b), mas conta-se com o lapso de racionalidade da maioria que, uma vez convencida de (a), julga a questão resolvida.

• Há inúmeras tentativas de se provar (a), mas nenhuma conclusiva. Encontram-se sempre omissões, lacunas de raciocínio, impossibilidades físicas. Seguem nomes de algumas, em geral denominadas argumentos.

Argumentos: causal; cosmológico; da pressuposição do valor; da substância; do inconsciente; do milagre; do sentimento; epistemológico; ontológico; sobre humanidade; teleológico; utópico; etc.

• Numa avaliação superficial, pode-se supor que, se há necessidade de tantas provas, nenhuma delas é forte o suficiente. Mas a maioria considera essa proliferação uma evidência definitiva (é a percepção emocional superando a racional, base de sustentação das crenças).

• Seja o exemplo do argumento cosmológico: Tudo que começa a existir tem uma causa para sua existência. O universo começou a existir. Portanto, o universo tem uma causa para sua existência. Qual a base da primeira frase? O começo da existência é apenas o estado físico, em determinado instante, de um processo de transformação de matéria e energia. Ou seja, a afirmação é uma omissão proposital da realidade do Universo para fazer pessoas acreditarem que existem coisas dissociadas da matéria e da energia.

Nota: além disso, o pronome tudo significa a totalidade das coisas, isto é, um conjunto de múltiplos elementos. Então, o argumento deveria ser acompanhado de exemplos de outras coisas, além do Universo, que começam a existir...


Rejeição a Ateus - Brasil na Idade Média

(Topo | Fim pág)

Os dados da próxima imagem são extraídos de uma pesquisa do ano 2009 disponível neste site. Atualizações não foram encontradas, mas, diante do radicalismo crescente no Brasil, pode-se presumir que a situação de hoje não seja muito diferente.


Essa carência de raciocínio e de conhecimento pode ser confirmada quando se comparam proporções de pessoas sem religião (dados deste site) com índices de criminalidade de alguns países.


Nos Estados Unidos, informações deste espaço religioso admitem que ateus predominam no âmbito da Ciência. No caso de pessoas residindo em prisões, a coisa é bem distinta. A situação hipotética da figura a seguir pode então ser estabelecida.


Deve-se notar que dados de religiosidade apresentam flutuações na comparação entre diversas fontes. São possivelmente devidas a diferenças de métodos de pesquisas e diversidades culturais do significado de sem religião. Mas as tendências em geral se confirmam.

(∗) esse índice, muito abaixo da média, pode sugerir que uma parte de ateus se tornam religiosos depois de presos. Mas a coisa não deve ser significativa, em função da comparação de índices de criminalidade do gráfico anterior.


Sobre Bíblia

(Topo | Fim pág)

A imagem a seguir é uma bem-humorada comparação não muito distante da realidade.



Sobre Milagres

(Topo | Fim pág)

• O organismo humano tem cerca de 37 trilhões de células que abrigam extensas macromoléculas orgânicas. Portanto, um sistema de muitas partículas que forma indivíduos da mesma espécie, mas não exatamente iguais em razão do comportamento estatístico.

• Se fosse possível quantificar, por exemplo, a capacidade de combater doenças dos indivíduos, haveria provavelmente uma maioria com valores concentrados em torno da média de uma distribuição gaussiana e, distante dessa média, poucas pessoas com capacidade excepcionalmente alta (ou baixa) de recuperação.

• Pode-se dizer então que há raras pessoas com capacidade de autocura de algumas doenças. Desde que a maioria apela à religião quando em estado grave, os poucos casos de recuperação são quase sempre atribuídos a milagres.

• Exemplo histórico recente foi dado pelo físico Stephen Hawking: diagnosticado ainda jovem com uma doença degenerativa, tinha expectativa de sobrevida inferior a 5 anos. Sobreviveu por mais 50. Era ateu, mas teria sido um milagre se fosse religioso.


Sobrevivendo no Mar da Imposição

(Topo | Fim pág)

O radicalismo religioso avança no Brasil e não há sinais de abrandamento no horizonte presumível. A falta de respeito é rotina (exemplo é uma praça próxima do local de trabalho do autor deste site: uma caixa de som na fachada de uma residência transmitindo, em volume alto, uma rádio religiosa durante o dia inteiro). Individualmente não há muitas opções, mas há ações que permitem suavizar ou mesmo resolver o incômodo.

• Alugando ou comprando um imóvel: é prudente verificar previamente se não há nas proximidades igrejas que possam incomodar, principalmente se for compra. Razoável também observar se não há espaços próximos que possam ser ocupados pela indústria da fé (galpões velhos, por exemplo).

• Compras em geral: nos shopping centers normalmente não há problemas. Mas, nos centros comerciais de grandes cidades, é comum ver os senhores da verdade pregando com suas superpotentes sonorizações. São mais ativos aos sábados pela manhã. Assim, pode-se evitar esse horário. Compras online são outra opção.

• Compras em supermercados: as grandes redes costumam respeitar, mas, nas médias e pequenas, são comuns aquelas músicas religiosas a todo o volume no início do expediente, para começar bem o dia. Evitar esse horário, portanto.

• Feriados religiosos: é preciso prestar atenção porque alguns costumam ter preparativos na véspera que, por exemplo, bloqueiam o trânsito.

• Mudança de país: opção válida principalmente para jovens. Na legalidade, depende de muito estudo e dedicação na área de formação, além de sólidos conhecimentos da língua inglesa e, bastante recomendável, de outros idiomas.

• Mulher em idade fértil: fazer o possível para evitar uma gravidez indesejada. Mas sexo é coisa emocional e anticoncepcionais podem falhar. Assim, para as que puderem, é prudente manter uma reserva financeira para a eventualidade do procedimento de interrupção em um país evoluído. Considerando o pouco tempo, deve-se manter passaporte em dia e prestar atenção às exigências do destino, como vacinação e outras.

• Redes sociais: procurar contatos com pessoas racionais (religiosos tolerantes inclusos), formando assim uma espécie de país desenvolvido virtual. Pelo menos pode amenizar a realidade de quinto mundo por aqui.


Valores Morais Precisam de Religiões?

(Topo | Fim pág)

• Em nenhuma hipótese. Mas a vida seria muito difícil e perigosa em uma sociedade completamente anárquica, sem normas de conduta.

• Pode-se, por exemplo, imaginar a angústia de viver em um grupo onde se pudesse matar ou roubar impunemente!

• Todos os valores morais podem ser estabelecidos com fundamento no conhecimento e no bom senso, sem necessidade de dizer que foram vontade de supostas entidades sobrenaturais.


Vida Extraterrestre?

(Topo | Fim pág)

• A pseudociência do Ufologia é incompatível. O método científico mostra-se lógico, isto é, não se observam impedimentos para vida em outros locais, mas nada foi confirmado até o momento.

• Pode-se supor que vida seja algo muito raro no Universo porque exige condições particulares para a formação e também um planeta em condições de sustentá-la.

• Devido à presumida dispersão da vida no Universo, é até possível imaginar que a espécie humana chegue ao fim sem resposta para essa questão.

Topo | Rev: Set/2020